Prefeitura Municipal de Bandeirantes - Paraná

Promab - Projeto de Mobilização Ambiental de Bandeirantes

E-mail Imprimir PDF
avisolicitacao
A Educação Ambiental tem um caráter humanizador, formador e deve favorecer compreensão e desvelar as determinações impostas pela realidade humana, de forma a reconstruir em si os valores de civilidade e humanidade construídos historicamente.  

Na Educação Ambiental, há uma grande distância entre informar e formar. Não basta transmitir inúmeras informações sobre o que se deve fazer o que pode melhorar o ambiente: é preciso formar cidadãos conhecedores dessas questões, indivíduos que não só ouçam, mas que também procurem conhecer sobre a realidade ambiental. Indivíduos que se comprometam com as mudanças necessárias à qualidade ambiental de forma autônoma e responsável.

A Educação Ambiental deve capacitar o indivíduo a agir individual e coletivamente, amparado pelo olhar da sustentabilidade. Obviamente, cada grupo possui uma dinâmica e uma busca por uma série de respostas que é interna ao grupo, e o educador ambiental deve respeitar essas expectativas.

O fazer urgente é a incorporação de uma Educação Ambiental capaz de inserir o sujeito nesse contexto de discussão e de criação, capacitando-o e convidando-o a participar do processo, de forma legítima. É preciso que a Educação Ambiental seja responsável por socializar as necessidades, reencontrar os interesses, as tradições e os novos conhecimentos, para o sujeito seu poder decisório, sua possibilidade de mudança, fazendo do saber ambiental uma construção coletiva, um ato de equipe.

Na Educação Ambiental cabe a tarefa de rejuvenescer essa vontade em todos nós. A vontade de fazer parte, e de criar um novo cenário social e ambiental. Esse é o ambiente do saber ambiental, no qual todos constroem junto o futuro do planeta e juntos, compartilhamos com tantos outros a responsabilidade por criar e repercutir uma nova forma de viver a vida em sociedade.

Plantando árvores ou reflorestando uma área, podemos fazer o caminho inverso, neutralizando as emissões de carbono provocadas pela vida moderna. No entanto devemos tomar cuidado com esse modismo generalizado de plantar árvores para compensar as emissões, pois isso minimiza apenas uma parte do dano. Só mudanças mais profundas é que realmente vão fazer a diferença.

Quando uma árvore cresce, ela absorve o gás carbônico presente na atmosfera pelo processo de fotossíntese, para formar seu corpo. Assim acaba reduzindo a concentração desse gás que contribui para o efeito estufa.

O problema é que as árvores levam muito tempo para absorver o CO2 que emitimos em um curto espaço de tempo.

Além disso, não haveria no planeta espaço suficiente para se plantar a quantidade de árvores necessária para se neutralizar toda emissão mundial, já que cada tonelada de carbono equivale a cerca de cinco árvores.
Na arborização urbana, a escolha das espécies arbóreas usadas, se devem levar em consideração aas características de espécies como:

- A copa da árvore deve ter formato, dimensão e engalhamento adequados. A dimensão da copa deve ser compatível com  o espaço disponível, permitindo o livre trânsito de veículos e pedestres, evitando danos às fiações, fachadas e bloqueio da sinalização e iluminação.
- O ideal é dar preferência a espécies que não deem flores ou frutos muita grandes, evitando assim, acidentes com pedestres ou danificar veículos.
- As arvores que soltam folhas (caducas ou decíduas) podem entupir bueiros e calhas no telhado, além de exigirem limpeza constante nos terrenos,
- Árvores sob fiação elétrica devem ter pequeno porte (compatível  com a altura da rede).
- As raízes das arvores tem a extensão aproximada da largura de sua copa. Por isso, a arvore, depois de altura, se projetar sobre uma edificação, significa que suas raízes se projetam sob a mesma podendo ameaçar a fundação, reservatórios e tubulações.
 
 
Objetivos e Justificativas
- Apresentar aos órgãos competentes, através deste projeto que nós podemos fazer a diferença enquanto moradores  deste município.
- Discutir com os órgãos competentes sobre o desenvolvimento sustentável, produzir com responsabilidade ambiental.
- Replanejar a arborização, com o plantio de espécies adequadas para se evitar interferências com os bens e serviços públicos;
- Aumento da diversidade e quantidade da fauna na cidade, especialmente de pássaros;
- Purificação do ar pela fixação de poeiras e gases toxicose pela reciclagem de gases através de mecanismos fotossintéticos;
- Redução da velocidade dos ventos;
- Redução dos impactos da chuva;
- Influência no balanço hídrico, favorecendo a infiltração da água no solo e provocando uma evapo-transmissão mais lenta.
- Proporcionar conforto térmico.
 
 
Contudo alguns problemas podem ser causados pela arborização urbana efetuada de maneira aleatória e sem padrões tecnológicos adequados, dentre os quais podem ser citados:
- Calçadas e muros danificados devido às riquezas superficiais;
- Interferência da copa das arvores na rede elétrica e telefônica;
- Entupimento de calhas e bueiros;
- Interferência no livre transito de pessoas e veículos;
- Substituição das árvores por espécies de pote adequado (porte pequeno) nas áreas existente sob rede elétrica;
- Plantio de espécies de árvores adequadas nas áreas elétricas e sem arborização;
- Substituição das árvores existentes por espécies de porte adequado (porte pequeno) nas áreas existente sob rede elétrica;
- Plantio de espécies de arvores adequadas nas áreas com rede elétricas e sem arborização,
- Substituição e plantio de arvores de pequeno porte para áreas urbanas edificadas, arborizadas e eletrificadas;
- Plantio de árvores adequadas nas áreas com ausência de rede eletrica.
 
Fatores Críticos
Os problemas mais comuns, ocasionados  pela arborização urbana é a forma inadequada relacionada à sua interface com as redes de distribuição de energia elétrica. As arvores que serão plantadas nas calçadas, deverão estar adequadas às condições  locais.Em locais onde houver rede elétrica, recomenda-se o  plantio de espécies de pequeno porte, e onde houver rede subterrânea, plantar espécies de sistema radicular fasciculado. Áreas totalmente impermeabilizadas ao redor do tronco são prejudiciais às arvores e na idade será evitada, pois as árvores podem morrer por:
•    Falta de água
•    Sufocamento
•    Estrangulamento.
 
 
A Caiação das árvores é uma prática ultrapassada, sem qualquer finalidade ou  beneficio para a arvore. Ao contrario, a caiação frequente e propicia a formação de crostas de cal que podem transforma-se em abrigo para proliferação de formigas e insetos.
Muitas pessoas pintam os tronos de branco para dar a impressão de limpeza na cidade, mas após as primeiras chuvas, o pó acumulado nas folhas escorre em cima do branco, tingindo-o de escuro salientando ainda mais a sujeira.
 
 
Arborização das Ruas
É necessário um planejamento de arborização com o plantio de espécies adequadas para se evitar interferências com os bens e serviços públicos, como fios elétricos, canalizações e calçamento.
A vegetação, como um tubo, tem sido de grande importância na melhoria das condições de vida centro urbana. Com o crescimento populacional das cidades, depara-se com a falta de um planejamento urbano.
 
 
Funções da Arborização
Além da função paisagística, a arborização proporciona benefícios à população como:
Proteção contra ventos
Diminuição da poluição sonora;
Absorção de parte dos raios solares;
Sombreamento
Ambientação para pássaros
Absorção da poluição atmosférica, neutralizando  os seus efeitos na  . O adequado conhecimento das características e condições do ambiente urbano é uma pré-condição ao sucesso da arborização. É preciso considerar fatores básicos como: condições locais, espaço físico disponível e características das espécies a utilizar.
O plano de arborização deve responder algumas perguntas como: o que, como, onde e quando plantar.
 
 
Análise da Vegetação      
É importante conhecer a vegetação da região dentro da cidade e nos arredores, procurando, selecionar espécies recomendadas  para a arborização urbana e que apresentam crescimento e vigor satisfatório.
 
 
Análise do Local
É preciso efetivar os levantamentos dos locais a serem arborizados, como também daqueles que necessitam ser complementados ou adaptados. Há necessidade de compatibilização a arborização com o sistema elétrico,o abastecimento de água, esgoto, sinalizações e dedicações. O cadastramento e controle das ruas e praças dimensões, localização das redes e outros serviços urbanos, identificação das árvores  data do plantio e poda, possibilitam uma melhor implantação da arborização urbana.
 
 
BONS MOTIVOS PARA PLANTAR ÁRVORES NAS CIDADES
Embelezam a paisagem, ruas e estradas;
Cada árvore libera em média 400 litros de água na atmosfera, amenizando o calor e nos proporcionando sombras;
As folhas acumulam a poeira  purificando o ar;
Reduzem a poluição sonora;
Neutraliza o gás carbônico
 
REGISTRO DAS REUNÕES PARA EFETUAÇÃO DO PROJETO
 
 promab-1
 REUNIÃO COM OS MOBILIZADORES DO PROJETO
 
 
REUNIÃO SINDICATO RURAL COM OS ACADEMICOS DE BIOLOGIA UENP
REUNIÃO SINDICATO RURAL COM OS ACADEMICOS DE BIOLOGIA UENP 
 
 
QUANDO NOS UNIMOS SOMOS MAIS FORTES
 QUANDO NOS UNIMOS SOMOS MAIS FORTES
 
 
promab-4
ACADEMICOS DO CURSO DE BIOLOGIA UENP, FAZENDO O DIAGNÓTICO DAS ÁRVORES DO QUADRILATERO CENTRAL DE BANDEIRANTES, PARA DAR INICIO AO PROJETO
 
 
promab-5
ACADEMICOS COMPROMISSADOS COM O PROJETO
 
 
promab-6
APOIO DO PODER PÚBLICO PARA O PROJETO
 
 

NOSSO LEMA:
QUANDO CAMINHAMOS JUNTOS PODEMOS IR MAIS LONGE, ENFIM SOZINHOS NÃO VAMOS A LUGAR NENHUM.

 


NOSSOS PARCEIROS:
SINDICATO RURAL DE BANDEIRANTES E SANTA AMÉLIA
PREFEITURA MUNICIPAL DE BANDEIRANTES
ACIAB ASSOCIAÇÃO COMERCIAL INDUSTRIAL E AGRICOLA DE BANDEIRANTES
SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS
SECRETARIA DA AGRICULTURA
EMATER (EMPRESA DE ASSISTENCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL)
UENP UNIVERSIDADE ESTADUAL NORTE DO PARANÁ
IAP INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ

 
 
Navegando em: Principal Promab Promab - Projeto de Mobilização Ambiental de Bandeirantes
PMB

Últimos Atos Oficiais

Mais clicadas