Texto Maior
Texto Maior
Texto Maior
Texto Menor
Texto Menor
Texto Normal
Texto Normal
Contraste
Contraste
Libras
Libras
Vlibras

O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Acesso à informação
Acesso à informação

Bandeirantes, segunda-feira, 17 de janeiro de 2022 Telefone (43) 3542-4525

Atendimento Atendimento: De Segunda a Sexta das 7:30 às 11:00 e das 13:00 às 17:00 Horas

Segu
17/01
Chuva
Máx 27 °C
Min 18 °C
Índice UV
14.0
Terç
18/01
Chuvas Isoladas
Máx 30 °C
Min 19 °C
Índice UV
14.0
Quar
19/01
Chuvas Isoladas
Máx 30 °C
Min 19 °C
Índice UV
14.0
Quin
20/01
Parcialmente Nublado
Máx 30 °C
Min 19 °C
Índice UV
14.0

Esportes e Recreação - Sábado, 13 de Abril de 2019

Buscar Notícia

Notícias por Categoria

Atividades de saúde levam conscientização sobre autismo

Realizaram na semana passada (05 e 06) atividades de saúde em comemoração ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo (02 de Abril), criada pela ONU (Organização das Nações Unidas) em 2007


Parceria entre a Prefeitura de Bandeirantes, através da Secretaria Municipal da Educação e Cultura e CREM (Comissão Recreativa Esportiva Municipal), Studio Adrenalina Saúde (representando todas as academias) do personal trainer William Silva, Núcleo de Equoterapia Dr Raul Mioshi, Mediare, NRE/CP (Núcleo Regional da Educação de Cornélio Procópio), Associação Anjo Azul, OAB/Subseção Bandeirantes Comissão de Esporte e Caixa de Assistência dos Advogados, realizaram na semana passada (05 e 06) atividades de saúde em comemoração ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo (02 de Abril), criada pela ONU (Organização das Nações Unidas) em 2007. Pedal, corrida, ciclismo e caminhadas levaram colaboradores, voluntários e amigos a participar do movimento para conscientizar e sensibilizar a população sobre o TEA (Transtorno do Espectro Autista).

Segundo a secretária de Educação e Cultura, Valquiria Bonacini Martins, a rede educacional pública do Município cumpre as exigências estabelecidas por lei para acolher os alunos com TEA. “Temos vários alunos com TEA, tanto da educação infantil quanto no ensino fundamental. Nossa educação já vinha se preparando para atender este público com a capacitação dos professores, direção e equipes pedagógicas. Além da supervisão nas salas de aula, há apoio de profissionais da área da saúde e da psicopedagogia que realizam o trabalho de inclusão. Além disso, a família do aluno autista recebe orientação e informação para acompanhamento e desenvolvimento de seus filhos em sala de aula”, comentou. De acordo com Valquíria, se de um lado estão os alunos com TEA, que podem contar com uma escola municipal para ajudá-los com o aprendizado, do outro estão os demais alunos. “Estes que também devem ser preparados a aprender a conviver e respeitar as diferenças de forma natural, como também a desenvolver o sentido de companheirismo, amizade, paciência e consideração”, considerou. Na oportunidade, Valquíria agradeceu as parcerias, apoio e presença dos participantes nas atividades que envolveram saúde e destacaram a importância da conscientização da sociedade para o autismo.

SOBRE O TEA –  O TEA é um transtorno do neurodesenvolvimento, caracterizado por padrões de comportamentos repetitivos e dificuldade na interação social, que afeta o desenvolvimento da pessoa com TEA. A compreensão sobre o transtorno é recente em todo o mundo. A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que há 70 milhões de pessoas com autismo no planeta, sendo 2 milhões somente no Brasil. Estima-se que uma em cada 88 crianças apresenta traços de autismo, com prevalência cinco vezes maior em meninos.

O autismo não impede a pessoa de engajamento na vida em sociedade; pelo contrário, o autista apresenta uma gama de habilidades e diferentes áreas de interesse, mas precisa de orientação e tratamento, sendo que quanto mais cedo o diagnóstico, melhor. A identificação de sinais de problemas possibilita a instauração imediata de intervenções extremamente importantes; por isso profissionais da saúde, professores, pais e familiares devem estar atentos às crianças, principalmente na primeira infância, até os três anos de idade. É importante a observação quanto aos sinais de mudanças no comportamento, dificuldades motoras e sensoriais, na forma de falar e de se alimentar.

 


Fonte: Folha do Norte Paranaense

FacebookTwitterWhatsAppImprimir

Voltar para a listagem de notícias

CALENDÁRIO DE EVENTOS

ACOMPANHE-NOS

UNIDADES FISCAIS

Fique por dentro dos índices - ver todas

Nenhuma unidade fiscal cadastrada no momento!

Prefeitura Municipal de Bandeirantes - PR.
Usamos cookies para melhorar a sua navegação. Ao continuar você concorda com nossa Política de Cookies e Políticas de Privacidade.